Propaganda Pio do Jacu

Menino de 12 anos morre após se contaminar com vírus mortal nipah, na Índia


O vírus tem uma taxa de mortalidade que alcança os 75%. A morte do garoto alertou o país que está buscando medidas para evitar a propagação da doença

Um menino de 12 anos foi vítima o vírus nipah, no estado de Kerala, Sul da Índia. O vírus tem uma taxa de mortalidade que alcança os 75%. A morte do garoto assustou o país que está em alerta para evitar a propagação da doença, que tem potencial de se tornar um vírus pandêmico.

Os sintomas do jovem começaram com uma febre alta persistente. O menino chegou a procurar um hospital, mas seu estado de saúde piorou e a febre se tornou um grave inchaço cerebral, segundo a CBS, rede de TV norte-americana.

Além da febre alta apresentada pelo garoto, o vírus ainda pode apresentar sintomas respiratórios, dor de garganta, tosse, fadiga, encefalite e dor de garganta. A evolução para um inchaço no cérebro é o quadro mais perigoso, que pode causar a morte.


A doença preocupa não só a Índia, como também a Organização Mundial da Saúde (OMS). O alerta é causado pelo potencial pandêmico do nipah, devia a taxa de mortalidade e transmissibilidade do vírus, que fica encubado na pessoa por 45 dias antes de apresentar os sintomas. O tempo de incubação abre mais ainda o risco de infecção, já que a pessoa não percebe que está doente até apresentar algum sinal.

Como forma de contenção, a Índia rastreou e isolou cerca de 188 pessoas que chegaram a ter contato com o menino vítima da doença, incluindo sua família. Das pessoas isoladas, cerca de 20 são de alto risco e 8 testaram negativo.

Vírus com potencial pandêmico

Essa não é a primeira vez que ouvimos falar do Nipah, o vírus já causou surtos na Ásia entre humanos em outras ocasiões e está entre os dez primeiros vírus mais perigosos conhecidos. A transmissão acontece por morcegos frugívoros, contato humano e porcos. No primeiro surto, que aconteceu na Malásia, a maior parte dos doentes foram infectados por porcos doentes.

Postar um comentário

0 Comentários