Assembleia Legislativa do Parana
Propaganda Prefeitura de Nova Laranjeiras
Propaganda Prefeitura de Laranjeiras do Sul

Morre Canisso, baixista dos Raimundos, aos 57 anos

Canisso tocando na Pedreira Paulo Leminski, em Curitiba (2018)

Informação foi publicada nas redes sociais do artista

Canisso, baixista da formação inicial dos Raimundos, morreu nesta segunda-feira (13). A informação foi confirmada pela família nas redes sociais do artista e pela filha dele pelo Instagram. 

Segundo a filha, Canisso teria sofrido um acidente em casa no fim da manhã. Ele foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Na página oficial de Canisso, foi informado que ele “sofreu uma queda decorrente de um desmaio”. 

Relembre a carreira

José Henrique Campos Pereira, conhecido como Canisso, ficou conhecido por fazer parte da formação original dos Raimundos, ao lado de Digão e Rodolfo Abrantes. Em 2002, Canisso saiu da banda pouco tempo após a saída de Rodolfo, alegando desgaste natural por desentendimentos internos e agenda vazia. 

Só em 2007 Canisso retornou para a banda, após a saída do baixista Alf. 

Canisso e Raimundos

José Henrique Campos Pereira, o Canisso, nasceu em 9 de dezembro de 1965, na cidade de São Paulo. Sua família se mudou para o Rio de Janeiro quando ele tinha 9 meses de idade, indo para Brasília em seguida quando o então garoto tinha 3 anos. Ele residiu na capital federal até a adolescência.

Após um período em São Paulo, retornou a Brasília, cidade onde o Raimundos foi criado em 1987. Com influências do punk rock e da música nordestina, o grupo se consolidou com Rodolfo Abrantes nos vocais, Digão na guitarra e Fred na bateria, além de Canisso no baixo.

Ao longo da década de 1990, o Raimundo se tornou uma das maiores bandas de rock do Brasil. Discos como a estreia homônima de 1994, “Lavô Tá Novo” (1995) e “Só no Forévis” (1999) venderam milhões de cópias, rendendo hits como “Mulher de Fases”, “A Mais Pedida”, “Me Lambe”, “Eu Quero Ver o Oco”, “I Saw You Saying (That You Say That You Saw)”, “Selim” e “Puteiro em João Pessoa”.

Em 2001, Rodolfo Abrantes converteu-se religiosamente, deixando a banda no ano seguinte. Inicialmente, Canisso permaneceu, mas após o lançamento do álbum “Kavookavala” (2002), já com Digão nos vocais, optou por sair.

O cantor original do Raimundos e o baixista tocaram juntos no Rodox, banda de sonoridade até mais pesada que a do projeto anterior, mas com letras mais sérias. A iniciativa rendeu dois álbuns e foi encerrada em 2004, após Abrantes migrar de vez para a música gospel.

Assista o Raimundos na sua melhor fase no final dos anos 90:


Raimundos marcou uma geração que curte rock pesado/hardcore no Brasil e que hoje tem mais de 30 anos. Descanse em paz, Canisso. 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem